Emunah Editora

Grego do Novo Testamento

grego

Breve Histórico e Alfabeto

O grego pertence à família de línguas ou ao tronco lingüístico chamado indo-europeu e dentro desse grupo ao grupo chamado grego ou helênico dentro do mesmo grupo temos ainda: micênico, grego moderno ou romaico. Dialetos micênicos: grego ocidental, grego oriental, eólio, arcado-cipriota e koiné.

Era uma língua falada por um povo que se autodenominava de helenos. Dentro desse povo havia os seguintes grupos: aeolians, dórios e  ionians (Jônios). Assim, a língua grega é dividida entre os dialetos desses povos:

Dialeto Eólico, Dialeto Dório, Grego Homérico, Neo-Jônico (5.º séc. a.C., Heródoto e Hipócrates) e Ático (500 a.C., Eurípedes, Comédia de Aristófanes, Tucídides, Xenofonte; 300 a.C., Tragédia de Équilo, Sófocles, a Oratória de Demóstenes e de outros oradores de Atenas, também o trabalho filosófico de Platão). O Ático é considerado o mais cultivado e refinado dos dialetos gregos.

O grego, após as conquistas de Alexandre Magno, tornou-se língua universal que mais tarde veio a ser chamada de dialeto comum, daí o nome koiné. Começou no período chamado alexandrino, no auge da literatura e da cidade de Alexandria, no Egito. Data desde a ascensão de Ptolomeu II em 285 a.C. O famoso filósofo Aristóteles usava um grego em parte Ático e em parte Koiné.

Dentre as línguas modernas que têm o mesmo parentesco com o grego estão: o indiano (sânscrito), persa, alemão, slavo, celta e italiano, que se denominam indo-européias (ou arianas).

Grego bíblico (koiné) – koiné ou comum (ἡ κοινὴ διάλεκτος = hê koinê dialektos). Nesse dialeto escreveram: Polibus, historiador (205-120 a.C.), Diodorus (sobre Augustus), Plutarco (46 – 120 a.D.), Arrian (95 – 175 a.D.). O grego do NT pode ser classificado como helenístico ( `Ελληνιστική = Hellenistês). Deve-se distinguir dos outros escritos em koiné por ser mais popular e por forte influência semítica. Além de muitas palavras do aramaico encontradas no NT grego encontramos ainda um tipo de fraseologia e hebraísmos característicos semíticos, não é de se estranhar, tendo em vista que, exceto Lucas (e mesmo assim com grande influência semítica), todos os escritores do NT são judeus, apesar de terem escrito em grego, a sua mentalidade e forma de pensamento é caracteristicamente judaica.

ALFABETO GREGO E TRANSLITERAÇÃO UTILIZADA[1]

MaiúsculaMinúsculoNome  clássicoNomeTransliteraçãoSom
ΑαἌλφαalfaaa
ΒβΒῆταbetabb
ΓγΓάμμαgamagg, sempre como em ga, gue, gui, go, gu
ΔδΔέλταdeltadd
ΕεἘ ψιλόνépsilonee
ΖζΖῆταdzetazdz
ΗηἮταetaêe
ΘθΘῆταthetathth, como em inglês think
ΙιἸῶταiotaii
ΚκΚάππαkapakk
ΛλΛάμβδαlambdall
ΜμΜῦmm
ΝνΝῦnn
ΞξΞεῖksiksks
ΟοὈ μικρόνómicronóó
ΠπΠεῖpipp
ΡρῬῶrr
Σσ ςΣίγμαsigmasss
ΤτΤαῦtautt
ΥυὙ ψιλόνüpsilonyü , como em müller
ΦφΦεῖfeiff
ΧχΧεῖheichr bem forte, como o chet (ח) hebraico
ΨψΨεῖpsipsps
ΩωὨ μέγαômegaôô

ALFABETOS ANTIGOS[2]

Tabela

Descrição gerada automaticamente

[1] a transliteração utilizada é uma forma simplificada para o aluno não se perder nas muitas formas utilizadas no mundo acadêmico. A pronúncia utilizada é a Erasmiana, existem outras pronúncias e o grego moderno utiliza a chamada pronúncia iotacista por prevalecer o som do iota, a pronúncia erasmiana dá diferenciação às vogais longas e curtas como é e ê.

[2] Por BishkekRocks – Selbst erstellt nach Bildatlas der Sprachen, Augsburg 1998. Die eingesetzten Schriftarten sind Arial and etruscotutto von James F. Patterson ([1])., CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=1034558